Knives Out: Todos São Suspeitos (2019)

 

Filme: Knives Out: Todos São Suspeitos
Data de lançamento: 28 de Novembro 2019 | ( 2h 11min ) | PG-13
Realizadores: Rian Johnson
Elenco: Daniel Craig, Chris Evans, Ana de Armas 
Géneros: Crime, Drama, Comédia
Produção: Lionsgate, Media Rights Capital (MRC), T-Street 
Distribuição: PRIS Audiovisuais
Sinopse:  O detetive Benoit Blanc investiga o assassinato de Harlan Thrombey (Christopher Plummer), um famoso escritor de romances policiais e patriarca de uma excêntrica e bastante combativa família, encontrado morto na sua propriedade logo após cumprir o 85º aniversário. Uma uma reinvenção moderna de um clássico e misterioso assassinato protagozinado por um elenco de primeira linha.[…]

Crítica:

Knives Out: todos são suspeitos é um perfeito filme de mistério, uma história realmente criativa e interessante que irá deixar qualquer um agarrado ao ecrã. O trabalho que podemos observar no ecrã é pura magia cinematográfica, uma produção executada na perfeição e um guião incrivelmente imprevisível e cativante. Para além de um mistério incrivelmente desafiante, este filme contém também um comentário pungente sobre a América de 2019.

O filme narra a história de Marta Cabrera (Ana de Armas), que se revela a inesperada heroína da narrativa, a confidente de um famoso escritor de mistério. Esse mesmo escritor, Harlan Thrombey (Christopher Plummer), é encontrado morto nos seus aposentos, num ato que aparenta ser suicídio. Mas será que Harlan realmente foi capaz de tirar a própria vida? É aí que entra o detetive Benoit Blanc (um carismático Daniel Craig), que no decorrer do filme irá tentar desvendar se há algum tipo de jogo sujo por trás da morte do milionário. Claro que, como muitos outros milionários neste tipo de contos, Thrombey tem uma lista de familiares que lucrariam imenso com a sua morte, e Blanc e Marta vêm-se obrigados a chegar ao fundo do mistério que é esta incógnita de morte.

Daniel Craig é incrível no papel, interpretando o detetive da história com um caráter extraordinário, trazendo um carisma tal, que uma sequela com a sua personagem já se encontra em desenvolvimento. Mas o verdadeiro núcleo do filme centra-se em Ana de Armas, cuja personagem oferece o tão urgente comentário político, focando-se em cenas que utilizam a estrutura tão típicas do género mistério para transmitir esses mesmo comentário. Armas brilha com a sua interpretação, trazendo consigo uma espécie de confiabilidade, um magnetismo que capta a atenção da audiência imediatamente.

Quanto ao resto dos intérpretes, e dado o tipo de elenco de luxo à disposição, estes brilham mesmo nos mais pequenos dos papéis, o que é um deleite para todos os olhos. Jamie Lee Curtis (e talvez esta minha opinião seja ligeiramente influenciada pela admiração que possuo pela atriz) é incrivelmente cativante no seu papel, assim como Chris Evans, que dá uma performance não muito típica sua.

Knives Out é também uma obra de arte visual, com uma brilhante cinematografia e belos cenários saídos de um bom livro de mistério. O amor do realizador Rian Johnson pelo género é claramente visível, oferecendo ao filme uma aura especial e única, e Johnson prova mais uma vez ser um talento valiosíssimo para Hollywood.

No seu todo, Knives Out é um perfeito filme de mistério, um filme inesperado, original e completamente cativante. Não houve um momento no filme inteiro que me tenha feito descolar os olhos do ecrã, não há um momento em que não nos sintamos investidos na história que é retratada. Este é definitivamente um filme que toda a gente devia adicionar à sua lista.

< Voltar

Nota: