Bombshell – O Escândalo (2020)

 

Filme: Bombshell- O Escândalo
Data de lançamento: 23 de Janeiro 2020 | ( 1h 49min ) | PG-13
Realizadores: Jay Roach
Elenco: Charlize Theron, Nicole Kidman, Margot Robbie
Géneros: Biografia, Drama
Produção: Annapurna Pictures, BRON Studios, Creative Wealth Media Finance 
Distribuição: PRIS Audiovisuais
Sinopse:  Durante décadas, Roger Ailes, um dos fundadores do canal norte-americano Fox News, teve perfeita noção do poder que exercia sobre todos à sua volta. A sua posição fê-lo ter boas relações com figuras proeminentes, especialmente ligadas ao Partido Republicano. A sua credibilidade, até aqui inabalável, é posta em causa quando Gretchen Carlson, ex-apresentadora de um dos mais importantes programas do canal, o acusa de a ter demitido após se ter recusado a ter relações sexuais com ele. Pouco depois, várias mulheres se juntam a Carlson, acusando Ailes de abuso de poder e assédio sexual no local de trabalho. Apesar de Ailes desmentir todas as acusações, é forçado a demitir-se.[…]

Crítica:

Bombshell – O escândalo relata a história verdadeira do terror e assédio vivido por várias mulheres no canal FOX NEWS, a história de como a verdade foi lentamente procurando a luz do dia, de como um conjunto de mulheres se juntaram e tentaram derrubar um dos maiores nomes associados com a marca FOX.

Antes da explosão do movimento #metoo, o primeiro sinal de uma mudança de paradigma em Hollywood começou com a queda do titã da tv Roger Ailes. O filme, do realizador Jay Roach, segue os últimos dias de Ailes como CEO da FOX NEWS, antes de Gretchen Carlson o ter processado e de Megyn Kelly ter, ele própria, relatado os assédios de que foi vítima.

O filme é pesado, especialmente dado o tipo de material com que lida, e mantém uma atmosfera tensa de início ao fim, aumentando a fasquia a cada momento que passa. Há um enorme cuidado na construção da tensão, cada cena vai lentamente contribuindo para um desagradável sentimento na audiência. A verdade é que é triste entender que este tipo de comportamento deplorável é real, é horrífico saber que determinados homens com demasiado poder tentam aproveitar-se do mesmo para usar pessoas (no caso deste filme, e da realidade, o poder é usado especificamente para assediar e molestar mulheres).

É uma pena, que traz consigo revolta, perceber que Ailes, um homem incrivelmente nojento, realmente se aproveitou de mulheres trabalhadoras, mulheres valiosas para a indústria que tinham realmente algo importante a oferecer. Apesar do filme tornar claro que nem todos os homens são monstros , demonstra incrivelmente bem aqueles que o são, aqueles que procuram apagar o fogo e o talento incrível de várias mulheres, tudo devido a ideais retrógradas, sem sentido, e uma ideia de que as consequências dos seus atos não os afetam.

Há uma cena, em específico, que retrata o assédio vivido por várias mulheres (nesta cena é utilizada uma personagem que foi criada especificamente para incorporar todas as mulheres que sofreram estes horrores), uma cena tão desconfortavelmente real que deixará qualquer um a sentir-se sujo. É realmente impressionante como o filme retrata toda esta tensão, toda este horror e todo este sentimento desconfortável de uma forma tão realista e assustadora.

As interpretações são também elas realmente incríveis, Charlize Theron é esplêndida como Megyn Kelly, numa performance que é tão real que quase nos esquecemos de quem a interpreta. Margot Robbie e Nicole Kidman também elas dão o seu tudo no filme, e este trio realmente eleva este filme a um patamar de cinema superior.

Embora não um filme perfeito (o filme tenta imitar o estilo do “The Big Short”), com alguns assuntos que poderiam ter sido ainda mais desenvolvidos, penso que é de obrigatória visualização, pois é essencial entender que ainda acontecem este tipo de horrores contra mulheres. É realmente impressionante o realismo vivido com este filme, a forma como dramatiza um evento real e consegue ainda assim transmitir o desconforto e terror da situação. Recomendo vivamente que o vejam.

< Voltar

Nota: